Páginas

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Sementes do amor



Uma vez estava andando pela rua e tinha varias barraquinhas, uma delas me chamou a atenção, em letras bem grandes e vermelhas estava escrito a seguinte frase “ Vende-se sementes do amor”.

A curiosidade não meu deixou seguir em frente, fiquei um pouco observando a movimentação e resolvi ir perguntar o que era essa bendita semente do amor. Chegando perto da humilde barraca um garoto de menos de 15 anos me atendeu com um animado bom dia.

Sem muita paciência fui logo perguntando o que significava aquelas sementes, ele me explicou que eram pequenas sementes em forma de coração, se eu plantasse em um vaso um lindo pé de amor nasceria.

Achei ridícula aquela historia e fui logo dizendo que aquilo não existia, amor não se comprava e sim acontecia, com paciência e um grande sorriso no rosto ele dizia – é verdade moça, foi encontrado lá na china.

Achei engraçado seu sotaque caipira e fui logo dizendo – então me vende logo um saco de semente, quero plantar amor pela casa inteira. Comprei e plantei algumas em um vasinho de plástico que estava jogado pela casa, as outras nem sei onde deixei.

Com o tempo a planta foi crescendo e ficando linda, umas flores em forma de coração foi se abrochando, e realmente fiquei mais romântica, mas depois a planta ficou tão grande que encheu o saco, joguei o vaso fora e comprei e enfeite para colocar no lugar nunca mais tive amor, mas minha casa ficou linda com o enfeite novo.


3 comentários:

o ultimo poeta morto disse...

rsrs gostei muito do texto! bem verdadeiro!

Simone disse...

È bem por ai mesmo rs

Beijos Bia =*

Silvia 'Sam' Cássivi disse...

Ta aí uma coisa que poderia nascer em arvore: 'smor'
E 'dinheiro' também heheheh